Northwestern University Law Review

Abstract

No início de um século atrás, a Seventeenth Amendment to the U.S. Constitution trabalhou uma mudança substancial no governo americano, ditando que o povo deveria eleger os seus senadores pelo voto popular. Apesar do seu significado, pouco tem sido escrito sobre o significado da Emenda ou como ela funciona. Este artigo fornece uma interpretação abrangente da Décima Sétima Emenda baseada no texto da Emenda e numa variedade de outras fontes: antecedentes históricos e textuais, decisões relevantes do Supremo Tribunal, os debates completos no Congresso, e os factores sociais e políticos que conduziram a esta nova disposição constitucional. Entre outras coisas, esta análise revela que a Emenda exige que os Estados preencham as vagas do Senado através da realização de eleições, quer preencham ou não primeiro essas vagas através da realização de nomeações temporárias. Ao fazê-lo, a Décima Sétima Emenda garante que o direito do povo a votar para senadores é protegido em todas as circunstâncias.

Utilizando esta interpretação como base, este Artigo revê a prática estatal no que respeita ao preenchimento de vagas ao abrigo da Décima Sétima Emenda. Desde que a Emenda foi adoptada em 1913, houve 244 vagas no Senado dos EUA. Num sexto destes casos, os estados violaram directamente o requisito fundamental da Décima Sétima Emenda de que os senadores sejam eleitos por voto popular, não realizando qualquer eleição. Além disso, em muitos outros casos, os estados atrasaram significativamente as eleições exigidas. Estas práticas custaram ao povo 200 anos de representação eleita desde que a Constituição foi emendada para prever a eleição directa de senadores, e tem havido pouca resistência a este padrão de desafio estatal à Constituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *