Recordando a Batalha de Berlim: O Memorial da Guerra Soviética no Tiergarten

A 16 de Abril de 1945, o ataque final a Adolf Hitler e ao Terceiro Reich começou quando as forças do Exército Vermelho Soviético atacaram de Leste em direcção a Berlim. O que se seguiu foram duas semanas de desesperados mas fúteis combates por defensores alemães, muitos deles velhos e jovens rapazes, uma vez que a cidade foi engolida pelas forças soviéticas que incessantemente caçavam o Führer escondido no seu esconderijo subterrâneo. Uma vez considerada a mais bela e tecnologicamente moderna de todas as capitais europeias, Berlim foi arrasada até aos escombros à medida que as mulheres eram alvo de violações de gangues, empresas e lojas eram saqueadas, e os civis esculpiam os cadáveres de cavalos mortos mortos nas ruas em busca de carne. Embora tivesse professado que daria a sua vida pelo seu povo, Adolf Hitler não o fez. Em vez disso, em negação da realidade, moveu exércitos imaginários em mapas para defender a cidade que sonhava que um dia governaria um império alemão maciço sob o novo nome Germania. Mas a realidade não podia ser negada por muito tempo. Após relatar a sua última vontade e testamento político e casar com a sua amante de longa data Eva Braun, suicidou-se com ela no bunker sob a Chancelaria do Reich. Os seus corpos foram queimados no jardim da Chancelaria. Numa última mentira após a sua morte, a rádio alemã relatou que Hitler tinha caído em batalha. Quando a cidade foi tomada há setenta e cinco anos atrás, em 2 de Maio de 1945, mais de 300.000 berlinenses e 80.000 soldados do Exército Vermelho jaziam mortos entre as ruínas. Cerca de 11 milhões tinham sido assassinados em campos de concentração nazis e mais de 60 milhões seriam mortos em todo o mundo na guerra contra as potências do Eixo antes de a paz ser finalmente alcançada, mas as campanhas militares na Europa tinham finalmente terminado.
Até ao final do ano, a 11 de Novembro de 1945, os soviéticos desvendaram um monumento à sua vitória no Tiergarten, o enorme parque urbano arborizado no coração de Berlim, agora queimado por incendiários, embolsado com artilharia, e um local de descanso final para mais de 2.000 soldados mortos do Exército Vermelho que tinham percorrido a estrada para Berlim, apenas para aí caírem. Os soviéticos escolheram um local que Hitler tinha planeado redesenhar como parte da arquitectura triunfal da Germânia, após a vitória final nazi. As ruínas do edifício do Reichstag alemão eram visíveis do memorial soviético, como se pode ver nesta fotografia de um marco histórico que fiz durante uma visita ao museu de Berlim em 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *